Estou quase esgotada. Dou o que posso, o que não posso. Dou o que está ao meu alcance e o que nunca pensei alcançar. Dou e dou e volto a dar. Não recebo nada em troca. Apenas insultos. Palavras ditas de cabeça quente, que o coração não sente, e eu sei que não. Mas é o que recebo, é o que ouço da tua boca todos os dias; ou então optas pelo desprezo, que também mói cá dentro, desfaz-me aos bocadinhos e eu estou farta que assim seja! Preciso de respeito, preciso que tenhas respeito por mim, mesmo quando falas de cabeça quente. Ensinaste-me a não dizer as coisas sem pensar, sem contar até dez e agora, a única coisa que te peço é que faças as coisas como me habituaste a fazer. É que sabes?! Tudo o que tem saído dessa boca, mesmo o silêncio, consomem-me. Consomem-me enquanto durmo, e enquanto penso noutras coisas. Portanto, por favor, faz tudo como me ensinaste. Preciso que me estimes. Preciso de uma cama e dos teus beijos de boa noite, que tanta falta me fazem.
where are you?

2 comentários:

Maggs disse...

ohm, és tão querida :)

Maggs disse...

aha, de nada :)