CASA DOS VÓVÓS, aqui vou eu!
Tenho tantas saudades destes encontros de família que ou acabam muito bem, ou dão para o torto. Vejamos o que acontece este fim-de-semana. Vou por o sono em dia, correr até me fartar, dançar até não sentir os pés, e rir até não conseguir respirar.
Gostava que estivesses connosco vô. Temos saudades tuas, e eu ainda me arrepio quando ouço o teu nome. Fico paralisada quando entro no teu quarto, e o teu cheiro, quatro meses depois, está lá, como se ainda cá estivesses. Tenho pena de não poder ouvir a tua voz mais uma vez, já não me recordo dela, sabes? É talvez a única coisa da qual não me consigo lembrar, nem tenho possibilidade de a voltar a ouvir sequer. Lamento que te tenham tirado de junto dos teus, mas levo-te comigo no coração vá para onde for. Vais estar sempre comigo meu querido vôvô.

6 comentários:

carina, disse...

obrigada, é bom saber isso ;)

Inês disse...

De que nome falas?
Sentimos sempre falta das pessoas que passaram por cá e que já cá não estão.

Inês disse...

ah xD
Eu entendo-te, à duas pessoas que na minha vida morreram: o meu bisavô, quando eu tinha 11 e a minha melhor amiga o Verão passado.. Do meu bisavô já não penso tanto, mas quando vou lá a casa falta sempre algo..
Da minha melhor amiga, basta qualquer coisa para me fazer lembrar, um cheiro, um gesto, um dizer, tudo.. Mas habituas-te.

Inês disse...

o que é uma grande injustiça..

Éfe disse...

É sempre difícil perder alguém que é tão importante para nós. Pessoalmente, acho que as saudades, nunca desaparecem, apenas vão se tornando menos constantes com o tempo. E mesmo que agora custe falar nele, ouvir o nome dele, tudo isso se tornará mais fácil um dia :)

claudia m, disse...

obrigada minha querida, fico feliz por saber isso (:
beijo