Já não dói tanto. Não estava à espera que a dor diminuísse assim, tão rapidamente. Mas ainda bem.
Tenho saudades tuas, tantas que ouvir falar de ti arrepia-me. Faz-me confusão que já não estejas perto de nós, que já não estejas ali á hora de almoço para perguntar como correram as aulas. É estranho. De um dia para o outro ficar sem alguém querido, é realmente estranho.
Hoje está um calor horrível vô, aposto que se cá estivesses estávamos os dois sentados naquele corredor fresquinho em tua casa. Aposto que já me tinhas contado uma das tuas histórias e tínhamos jogado dominó, até. Tenho saudades tuas caramba, não gosto delas, e é uma confusão não te ter aqui! Volta, e se tivesse agora que pedir um desejo a primeira coisa que me ocorria era que cá viesses, matar as saudades da netinha mais velha.

1 comentário:

Rita Sampaio disse...

O meu avô partiu também à bem pouco tempo.
Foi duro e prometi que ia chorar! Mas chorei...
Mas também passou e é o que interessa.
Gostei muito do teu texto!! parabéns (: