Não deves ter conhecimento do quanto te amo porque nem eu, ás vezes, tenho consciência da dimensão tão inesperada deste amor. Amor este que é das coisas mais estranhas, mais invulgares e mais não-sei-o-quê que tenho conhecimento. Amote, sim assim, sem hífen. Amote assim porque é isso mesmo que sinto, este amor apertadinho, forte e quase quase inquebrável. És o meu miúdo, mas eu avisei que não era fácil e simples. Tenho das mais variadas e inesperadas pancas, e por mais voltas que dês á cabeça nunca saberás como sou no instante seguinte. Tenho mais luas do que possas engendrar. Sou assim, mal e bem, bem e mal, sou irregular e insegura, teimosa e um tanto complexa. Não te vou pedir perdão, não o vou fazer porque tenho consciência que o que fiz poderia ter sido evitado, mas ás vezes incomoda-me que me ames assim, tanto. Incomoda-me receber isto assim, com tanta doçura e tanta delicadeza, porque sabes que os fantasmas que trago comigo não perdoam que eu dê um passo sem eles. Mas eu amote, amo mesmo.

8 comentários:

SofiaSilva. disse...

agora é para quem merece mesmo!

carina, disse...

q bonito!

carina, disse...

e não tens q agradecer ;$

SofiaSilva. disse...

é assim que tem e é assim que vai ser.

c. disse...

lindo, mesmo!

Maggs ☮ disse...

ainda bem princesinha*

inês disse...

nem eu :D

inês disse...

o sonho é feito de asas