Sabes o que me irrita?! Que a minha voz ainda trema quando falo de ti, de nós ou de toda a porcaria que me fizeste. Provavelmente é raiva acumulada, ou culpa de tudo o que guardo para mim, e esse tudo deveria ser-te comunicado porque tu nem sonhas o nojo que me metes, os arrepios que me dás e a porra desta angústia que não deixas ir embora. Não tolero faltas de respeito, tiram-me do sério mas optei por não te responder da mesma forma, optei pelo silêncio, esse tenho a certeza que te afecta muito mais que meia dúzia de insultos. Optei pelo melhor mas, mesmo assim, está algo a moer cá dentro, e eu vou continuar a deixar andar e este sentimento vai continuar aqui, a mexer comigo, a roer cá dentro até ao dia em que eu esqueça ou guarde longe, tudo o que tu andaste a fazer.

2 comentários:

ana disse...

força !!

Flávio Miguel Mata disse...

Completamente de acordo. Podes sempre criar o teu próprio mundo, onde só tu te sentes confortável.