" Não diga o nome do meu avô. Não diga o nome do meu avô. Por favor, por favor. Não diga o nome do meu avô! ", e no instante seguinte disse-o, sem dó nem piedade. Pronunciou-o como se nada significasse. Não, não pode ser verdade. Não tinha o direito de o dizer, NÃO TINHA O DIREITO DE O DIZER!

Sem comentários: